Aviso!

Estamos precisando de professores voluntários para serem
parceiros do Capella Resumo na correção e revisão de artigos.

“Cada criatura viva deve ser observada como um microcosmo – um pequeno universo formado por uma multidão de organismos independentes, extremamente pequenos e tão numerosos quanto as estrelas do céu” - Charles Darwin

 

         A citologia é o ramo da biologia que estuda as células no que diz respeito à sua estrutura, suas funções e sua importância na complexidade dos seres vivos.

         A citologia teve início com a invenção do microscópio, um aparelho capaz de aumentar a imagem de pequenos objetos.

 

-História da citologia:

 

         A invenção do microscópio é dita ser do holandês Zacharias Jansen por volta do ano de 1591. O primeiro microscópio com supostamente uma lente, é presumido ter sido desenvolvido pelo pai de Zacharias, Hans Jansen, já que Zacharias era muito jovem na época. De qualquer forma era Zacharias quem montava os microscópios e distribuía a realeza europeia. No começo, o instrumento era usado como um brinquedo que possibilitava observações de pequenos objetos.

         Antonie van Leeuwenhoek foi o primeiro a fazer observações microscópicas de materiais biológicos de maneira sistemática. Leeuwenhoek descobriu a existência de micróbios (ou microrganismos). Ele é considerado pai da Microbiologia: relatou as formas e o comportamento dos microrganismos.

         As primeiras células vivas, algum tempo depois de Hooke, foram vistas pelo holandês Anton Van Leeuwenhoek (possuía a maior coleção de lentes do mundo, cerca de 250 microscópios). Ele observou minúsculos seres unicelulares que pulavam em gotas d’água colhidas de uma lagoa (protozoários).

         Robert Hooke, em 1665, enquanto observava fatias de cortiça (casca de certas árvores) ao microscópio, constatou “pequenas cavidades”. Ele descobriu que a leveza do material se devia ao fato de ser formada por várias “caixinhas microscópicas vazias”. Ele chamou cada caixinha oca de cel (palavra inglesa que significa cela ou cavidade). Daí veio o termo célula, diminutivo de cel.

         Ao contrário de Leeuwenhoek, Hooke usou microscópios compostos dotado de duas lentes ajustadas nas extremidades de um tubo de metal.

         Em 1833 o botânico escocês Robert Brown descobriu a existência de uma estrutura esférica nas células = núcleo. Início do século XIX – Já havia sido descoberto as três partes fundamentais da célula + parede celular. Em estudos posteriores ocorreu a descoberta das organelas citoplasmáticas.

 

         O microscópio óptico  se utiliza de uma fonte de luz e de um conjunto de lentes para ampliar o tamanho das estruturas que se quer observar. Amplia até aproximadamente 1200 vezes.

         O microscópio eletrônico foi inventado na década de 50. Ele apresenta ampliações de até aproximadamente de 250000 vezes, consegue elucidar a estrutura da membrana plasmática e a dos organoides membranosas. Com ele descobrimos a existência de inúmeras fibras proteicas compondo uma rede tridimensional, formada por micro filamentos e micro túbulos, o que originou o termo citoesqueleto para essa intrincada rede citoplasmática.

 

         Theodore Schwann firmou o conceito de que todos os animais são constituídos de células. Botânico Mathias Jakob Schleiden concluiu que as plantas eram formadas por células. O médico alemão Rudolf Virchow concluiu que todas as células são provenientes de células preexistentes.

 

- A teoria celular:

         Theodore Schwann e Mathias Jakob Schleiden foram os precursores da teoria celular. Ela afirma que existe semelhança microscópica entre os seres vivos e que a célula é a unidade morfofisiológica de todos os seres vivos, exceto vírus. Os vírus são exceção à Teoria Celular – não são compostos por células, e sim uma cápsula proteica e ácido nucléico (DNA ou RNA).





  Imprimir


Sobre o autor:
Gabriel Capella - Criador do
Capella Resumo
. Veja ele no Google+ ou no Twitter